ENTRE ESTIGMAS E TRAUMAS DE VIOLÊNCIA DE COLONIZAÇÃO E ESCRAVIDÃO: AFIRMAÇÃO DE IDENTIDADE AFRO DESCENDÊNCIA

Luís Tomás Domingos

Resumo


O nosso trabalho pretende analisar a dinâmica social de construção e afirmação de identidade Africana e Afro descendência diante de estigmas e traumas de violência causada pelo longo processo histórico de desumanização, a escravidão. O africano escravizado coletivamente e/ou individualmente, será que esqueceu ou foi esvaziada a sua origem africana diante das atrocidades do opressor na dinâmica da dominação? E de que maneira causou uma certa “amnesia” na sua mente sobre o significado do seu ser pessoa, ser humano (NOBLES, 1984)? Todavia, constata-se que há uma alteração a percepção ou a crença de senso de Africanidade em várias circunstancias de tempo e lugares conforme os mecanismos utilizados ao longo da história da escravidão e colonização. Esse senso alterado de consciência de ser ou não ser descendente Africano pode constituir um problema ´sério e complexo na autoafirmação. E pode ser analisado dentro da sua complexidade influenciado, geralmente, pelos contextos hostis caracterizado pelos estigmas e traumas causados pela violência da escravidão. E essa busca contundente e complexa de “ser africano ou não ser” (NOBLES, 1984;1998)[1] que desenvolvemos neste trabalho pesquisa sobre processo de afirmação de identidade de Afrodescendente perpassa, igualmente, pelas complexidades das relações étnicos raciais na sociedade brasileira (PIERSON, 1942; NOGUEIRA, 2006; FERNANDES,2007, MUNANGA, 1999), etc. Enfim, o nosso texto pretende examinar e questionar os diferentes meios utilizados na construção e representação de identidade Afrodescendentes através de experiências de vida, vivencias e discursos. Para alcançar os objetivos do nosso trabalho recorremos os métodos de pesquisas do campo e bibliográficas para identificar as experiências afro-brasileira como estudo de caso, respeitando a particularidade das trajetórias históricas coletivas e/ou individuais nas épocas e lugares diferenciados. Utilizamos entre outros autores, como referenciais teóricas entre outros Erving Goffman, (1988, 1989); William Dubois, (1903;1905), Kwame Nkrumah (1963; 1970); Franz Fanon (1952; 1961); Michel Foucault, (1966;1971), Achille Mbembe (2001;2014).

Palavras-chave: escravidão; estigma; violência; construção; identidade afro-descendente.


[1]NOBLES,  Wade W.   SBA: The Reawakening of the African Mind. Revised Edition by Asa G. Hilliard III, 1998.


Palavras-chave


Negritude, religiões, Afrobrasileiras

Texto completo:

PDF


ISSN 1676-9570 (impresso - ENCERRADO)

ISSN 2178-437X (eletrônico)

Licença Creative Commons
O trabalho identidade! de http://www.est.edu.br/periodicos/index.php/identidade foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada

 


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400