Reação à exposição do Dr. Gunther Wenz, “Evangelho e escritos confessionais: a hermenêutica das confissões do luteranismo”

Paulo P. Weirich

Resumo


Depois de destacar alguns aspectos da palestra do Prof. Wenz que chamaram sua atenção, o autor expõe o modo de fazer teologia a partir do 2o artigo da Confissão de Augsburgo. Para os reformadores, o testemunho e a confissão nãosão fins em si, mas servem à proclamação das “coisas boas” (Rm 10.15). Portanto, o foco dessa teologia passa a ser o impacto que a comunicação causa no ouvinte: “A teologia visa como seu fim próprio fazer ouvir coisas boas. Não basta que a pregação tenha enunciado claro para o emissor [...]. Ela deve ser percebida e atingir o ouvido como coisas boas. [...] Evangelho se define como tal não pela qualidade da emissão da palavra ou do texto, mas na interação e reação de quem a recebe.”

Palavras-chave


Confissões luteranas; Reforma protestante; Livro de Concórdia; Justificação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v44i1.571

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400