“Somente a Escritura”: avaliação de um princípio protestante. Reação a Gunter Wenz, “Evangelho e Bíblia no contexto da tradição confessional de Wittenberg”

Gottfried Brakemeier

Resumo


Estará falido o princípio protestante do “sola scriptura”? Constata-se uma “deficiência normativa” da Bíblia a exigir um magistério que a interprete corretamente. Somente assim seria evitada a arbitrariedade exegética responsável pela divisão da igreja e a proliferação das denominações. O presente artigo mostra ser irrenunciável a normatividade exclusiva da Sagrada Escritura sob pena de graves prejuízos para a cristandade. Ela exige, isto sim, uma visão “sintética”, articulando de modo concreto e contextual o evangelho de que é porta-voz. Em assuntos da fé cristã, todos os enunciados não passam de opiniões particulares, enquanto não embasados no texto bíblico.

Palavras-chave


Confissões luteranas; Reforma protestante; Autoridade da Bíblia; Sola scriptura

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v44i1.569

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400