O progresso do espírito: o céu como alvo e o inferno como conseqüência. O paradigma trinitário em Agostinho, Fiori, Comte e Hegel no diálogo com o pensamento de Lutero

Wilhelm Wachholz

Resumo


A ideologia do progresso não está circunscrita ao âmbito econômico, mas também se fez sentir no pensamento filosófico e teológico ao longo da História. Compreensões tripartidas, baseadas no paradigma trinitário, têm afirmado a História, a vida cristã, a civilização, etc. como progresso até o terceiro estágio: o Espírito. No âmbito da teologia, isso tem sido assumido como os que progrediram até a vida no Espírito Santo e os que ainda não alcançaram esse estágio. O modelo de vida "no Espírito" torna-se o arquétipo a ser propagado e até imposto, resultando em divisão, desunião e intolerância. Assim, no intuito de implantar o "céu" na terra, tem-se o "inferno" como resultado. Com esse objetivo, "O progresso do Espírito" propõe reflexões a partir do paradigma trinitário de acordo com as compreensões de Agostinho, Fiori, Comte e Hegel em diálogo com Lutero.


Palavras-chave


Progresso; Espírito; Lutero; Agostinho; Fiori; Comte; Hegel

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v47i2.444

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400