A graça de Deus e o ethos da graça. Experimento: o conceito da graça na teologia de L. Boff e a releitura de textos de Lutero

Silfredo Bernardo Dalferth

Resumo


O conceito boffiano da “graça” é hermenêutica para uma releitura de textos de Lutero. Em Leonardo Boff encontramos um conceito holístico de graça, numa continuidade da dimensão criacional-histórica e cristológicoescatológica. Essa estrutura teológica de continuidade da Teologia da Libertação é um desafio positivo para a teologia luterana! A análise de Lutero concentra-se na contraposição entre a justificação por graça e a interpretação do Reformador sobre a “religio” humana, uma estrutura de antijustificação. Na teologia de Lutero, a relação de graça, fé e amor não pode ser colocada numa lógica consecutiva: a graça divina do perdão do pecado é traduzida em um ethos da graça no relacionamento humano. Tento redescobrir o esquecido conceito de “perdão exterior”. Procurei visualizar a estrutura antitética entre a graça justificadora de Deus, que constrói realidade de comunhão e estruturas de antijustificação da realidade. O artigo concentra-se no esforço de redescobrir dimensões esquecidas da graça como politicum, na originalidade da Reforma, como movimento transformador da sociedade.


Palavras-chave


Graça; Teologia pública; Perdão exterior; Culpa estrutural; Antijustificação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v48i2.390

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400