O pensamento trinitário em Leonardo Boff: comunhão e criação

Euler Renato Westphal

Resumo


Para Boff, o Deus cristão, o Deus da vida, sempre é a Trindade de Pessoas: a comunhão do Pai, do Filho e do Espírito Santo. O conceito pericórese é colocado em intrínseca significação com os conceitos bíblicos de comunhão, amor e vida, pois a interpenetração dinâmica entre as Pessoas da Trindade é o resultado do amor e da vida que constituem a essência da Trindade. A Trindade seria modelo e inspiração para a organização da sociedade e para as lutas por justiça e pela vida humana. Para Martim Lutero, ao contrário de Leonardo Boff, o amor do Deus-Trindade está revelado na impotência e na abscondicidade do Crucificado. A morte de cruz de Jesus de Nazaré foi verdadeiramente a morte de Deus. Deus assume a forma de servo e nem por isso deixa de ser Deus e Senhor, mas na sua condescendência, ao sair de si e andar entre os seres humanos, é que encontramos a demonstração do amor de Deus.


Palavras-chave


Trindade; Leonardo Boff; Teologia de Lutero; Pensamento contemporâneo; Criação e redenção

Texto completo:

pdf


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v48i2.387

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400