Cântico dos Cânticos (7,10[11]) contra Gênesis (3,16) – um caso de intertextualidade programática subversiva

Osvaldo Luiz Ribeiro

Resumo


Exegese, análise do discurso, intertextualidade. O artigo defende a hipótese de que Ct 7.10(11) lê programática e subversivamente, invertendo-o, o texto de Gn 3.16, o que deve signifi car que, no horizonte de produção de Cântico dos Cânticos, recusa-se a assumir o desejo feminino como intrinsecamente mau e marcador subjetivo do castigo divino do pecado de Eva, de resto, da marca de legitimação do domínio masculino sobre a mulher. Recusando-se a submeter-se ao imaginário teológico de Gn 3.16, a Amada assume seu desejo, revela o desejo do Amado e convida-o à mutualidade do desejo experimentada no campo, insinuando-se, assim, um retorno ao "paraíso".

Palavras-chave


Cântico dos Cânticos; desejo; Intertextualidade

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v53i2.354

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400