“Assim como nós perdoamos”... o desafio do perdão cristão

Wilhelm Wachholz

Resumo


“Assim como nós perdoamos”, petição da oração do Pai-Nosso, ensinada por Jesus Cristo, conforme o evangelista Mateus (Mt 6.12), suscita uma primeira questão: o ser humano realmente perdoa e se perdoa, qual o sentido desse perdão? Mais, o ser humano tem necessidade de perdoar? Numa cultura regida pela lei da competição, em que sobrevivem os mais fortes, redundando na desumanização e despersonalização do ser humano e de suas relações, seria o perdão nada mais que manifestação de fraqueza, de derrota, portanto, não tendo sentido e lugar? O objetivo desta análise é lançar luzes sobre o tema do perdão, tomando por base a petição da oração do Pai-Nosso. O quadro teórico para a análise será o da teologia de Martim Lutero, em particular a teologia da justificação por graça mediante a fé, o que implica a teologia da cruz. A partir dessa fundamentação teológica, refletimos as diferentes nuances do perdão com vistas ao melhoramento das relações humanas, finalizando com a análise dos dois tipos de pecado segundo Lutero: o pecado confessado e o pecado defendido.

Palavras-chave


Teologia de Lutero; Pai-Nosso; perdão de pecados; justificação por graça através da fé

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v55i2.2544

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400