Novo nascimento e natalidade: da gratuidade da vida e do seu caráter político

Helmut Renders

Resumo


A procura do novo ser humano ocupa as grandes ideologias do século 20 e retorna de forma nova com os desafios da sustentabilidade. O artigo revisita a articulação teológica do tema na base de uma breve menção das metáforas do novo nascimento e da regeneração na Bíblia, seu significado originário no ciclo da vida humana e, com ênfase maior, da sua releitura na teologia wesleyana dos séculos 18 e 21. Depois, dialoga com a metáfora da natalidade desenvolvida por Hannah Arendt como dimensão política da vida. Conclui-se que as metáforas do novo nascimento e da natalidade devem ser lidas de forma complementar para desenhar, partindo de um lema wesleyano, a transformação da sociedade, reforma da igreja e renovação do ser humano como projeto intercalado.

Palavras-chave


Novo nascimento; natalidade; Hannah Arendt; novo ser humano; transformação da sociedade.

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v56i1.2463

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400