“Sola Fide” – um princípio antijudaico?

Gottfried Brakemeier

Resumo


No entender de teólogos judaicos, a doutrina da justificação por graça e fé, particularmente em sua expressão luterana, estaria engessando o tradicional antijudaísmo cristão. A oposição entre a “justiça pela lei” e a “justiça pela fé” discriminaria o judaísmo como religião legalista, declarando-a superada pelo evangelho de Jesus Cristo. O presente artigo examina a procedência dessa acusação. O ser humano é salvo somente por fé ou também por obras da Torá? O diálogo com o judaísmo sobre esse assunto acontece numa situação de endividamento cristão com relação a seus irmãos e suas irmãs judaicas. Há culpa a confessar. A fim de refazer as relações e superar preconceitos, importa esclarecer questões fundamentais, entre elas o significado do termo antijudaísmo, a função da Torá na obra de Deus e a posição de Jesus entre judeus e cristãos. Sobretudo, porém, cabe examinar o propósito da doutrina da justificação por graça e fé. Porventura terá necessariamente natureza antijudaica? A discussão terá que recorrer, é claro, à teologia de Paulo, o primeiro grande teólogo da justificação. Como interpretá-lo corretamente? Enfim, a reflexão propõe-se a mostrar caminhos para afirmar a identidade cristã sem ferir a identidade judaica.


Palavras-chave


Antijudaísmo; Justificação; Lei e Evangelho; Teologia do apóstolo Paulo; Diálogo judaico-cristão

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v49i1.187

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400