A cruz de Jesus em dois pensadores cristãos contemporâneos

Geraldo Luiz De Mori

Resumo


A crítica heideggeriana à ontoteologia levou muitos filósofos e teólogos cristãos a se perguntarem até que ponto o Deus sobre o qual a tradição cristã fala é o deus causa sui da crítica do autor de Ser e tempo. Eberhard Jüngel, na teologia, e Stanilas Breton, na filosofia, oferecem uma contribuição instigante e original no debate aberto por Heidegger: pensar Deus à luz da cruz de Jesus de Nazaré. A teologia da cruz, presente no Novo Testamento e em vários teólogos ao longo da história da fé cristã, tornou-se, em muitos autores contemporâneos, o lugar por excelência para pensar o Deus cristão. Em que a perspectiva de Jüngel e a de Breton se distinguem ou se aproximam da desses autores? O que a leitura proposta por eles inspira a reflexão teológica e filosófica feita a partir da América Latina e do Brasil? Essas são algumas das questões abordadas neste artigo.


Palavras-chave


Cruz de Cristo; Eberhard Jüngel; Stanilas Breton; Heidegger

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v51i1.176

Direitos autorais



 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400