PREGAÇÃO PURA DO EVANGELHO: HOMILÉTICA E HERMENÊUTICA DE CONVERGÊNCIA E ATUALIZAÇÃO

Éder Beling

Resumo


A Reforma Protestante colocou em evidência a centralidade da Palavra de Deus. Lutero com seus inúmeros questionamentos coloca acento na centralidade de Cristo e ao que Ele (Cristo) promove, tendo como base as Escrituras Sagradas, a fé e a graça. Num artigo publicado anteriormente levantaram-se algumas suspeitas sobre a relação hermenêutica da liturgia. Nesse artigo, pretende-se dar um passo adiante e dois para trás e entender de que forma podemos ter uma hermenêutica litúrgica que tematiza a Palavra, nesse artigo não se entrará fortemente na discussão dos Sacramentos. Em um diálogo ecumênico queremos abordar, mesmo que seja a partir de Lutero, o que ele e a comissão que escreveu o Livro de Concórdia, em especial a Confissão de Augsburgo, entenderam quando se referiam à pregação pura do Evangelho (CA V e VII). Em conclusão, pode-se dizer que a pregação exige um grande trabalho de hermenêutica que vai do texto à revelação, passando pelo cotidiano da vivência e da experiência humana, fundamentada sob a Palavra de Deus e transformada em (P)palavra e ação humana.


Palavras-chave


Reforma Protestante. Pregação. Evangelho. Hermenêutica. Liturgia.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


ISSN 2238-8516

Licença Creative Commons
Tear Online de http://www.est.edu.br/periodicos/index.php/tear é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.

 


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400