As estações ecumênicas: implicações do conceito de tradição para os desafios do inverno ecumênico

Ricardo Assolari

Resumo


O presente artigo tem por objetivo identificar os conceitos de tradição presentes na formação das identidades confessionais protestante e católica romana, bem como perceber suas implicações para a revitalização do diálogo ecumênico contemporâneo. Propõe-se a caracterizar o período designado de inverno ecumênico. Procede-se o levantamento das suas causas prováveis e dos desafios que dele emergem para o engajamento no ecumenismo atual. Entende-se que as respostas das denominações cristãs são condicionadas por seu comprometimento com o conceito de tradição subjacente às suas identidades particulares. Por isso, busca-se identificar os conceitos de tradição implícitos no debate que levou ao rompimento entre Roma e a Reforma, no século XVI. Aponta-se seus limites e potencialidades para o engajamento no diálogo ecumênico hodierno com base nas recepções dos concílios de Trento e Vaticano II e nos desenvolvimentos posteriores da teologia protestante.

Palavras-chave


Tradição; Inverno Ecumênico; Reforma; Tridentino; Vaticano II; Polifonia

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v42i0.2629

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Direitos autorais 2016 Protestantismo em Revista

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400